Rating: 3.3/5 (4697 votos)




ONLINE
3




Partilhe esta Página

  

 

 

 
 

EDITORIAL
EDITORIAL

EDITORIAL
 
Vandalismo na Estância Turística de Salesópolis
Estamos transformando em um país de indisciplinados onde não há mais respeito ao próximo, as pessoas fazem as coisas como não existissem mais ninguém no mundo, são pessoas arrogantes.
 
Precisamos que as autoridades sejam mais enérgicas e coíbam esse tipo de vandalismo que além de prejuízos aos cofres públicos deixam uma marca ruim para os turistas que nos visitam.
 
Estamos cansados de ver prédios públicos, praças e monumentos serem destruídos por um grupo de indisciplinados que de nada gostam nesta cidade e para que sirvam de exemplo é necessário que o poder público busque esses irresponsáveis e façam que os mesmos paguem pelos prejuízos causados.
 
O prefeito Benedito Rafael da Silva, com certeza irá pedir a Polícia Militar da Estância Turística de Salesópolis, que apure os fatos ocorridos, pois naquele local onde ocorreu o ato de vandalismo além da câmera de monitoramento outros prédios particulares contam com câmeras o que irá ajudar a buscar os irresponsáveis.
 
Os políticos receberam as imagens com indignação, e pediram que sejam encontrado (s) quem fez essa barbárie de contaminar a água da fonte localizada na entrada da Estância Turística de Salesópolis, além de emporcalhar as plantas que foram recentemente colocadas naquele local.
 
É preciso que as autoridades deem a população uma resposta positiva para que outros tipos de vandalismos não venham ocorrer e aumentar ainda mais os prejuízos, pois toda infraestrutura realizada na cidade vem dos impostos pagos por todos nós.
 
Esse tipo de vandalismo com certeza foi praticado por alguém que é capaz de atropelar um amigo pra alcançar seus objetivos.

Os Devotos do Divino...

Uma semana se passou e tudo começou com desfile de carros de boi e cavaleiros, depois veio a abertura com Padre Antônio Carlos e assim durante uma semana missas e alvoradas marcaram mais uma festa do Divino.

Mas quando desejamos fazer algo melhor, mas que VOCÊ FAÇA A DIFERENÇA foi que nasceu a ideia de realizar simultaneamente a cobertura da festa do Divino em Salesópolis e Biritiba Mirim.

Foi um trabalho árduo onde três pessoas conseguiram levar durante uma semana tudo de melhor que estava acontecendo em Biritiba Mirim e Salesópolis.

Nossa equipe trabalhou dia e noite para que todos que não puderam irem nas festividades pudessem de suas residências ter um contato com Deus, levamos a evangelização ao lar de cada um, mostramos a devoção de um povo que tem no Espírito Santo uma fé inabalável.

João Pedro Morente na Estância Turística de Salesópolis não mediu esforços para em centenas de milhares de fotos fazer o melhor para nossos leitores.

Foram também tantas outras entrevistas com Padres que pregaram a União entre os povos, a Paz entre as Nações e alguns chegaram a ficar admirados com a fé do povo Salesopolense.

As madrugadas frias eram mais um desfio para cada devoto que vinham de longe para pagar suas promessas e acompanharem as Alvoradas que sempre terminavam com o delicioso café com biscoito preparado por Vicente e sua Equipe.

E o que falarmos dos Foliões do Divino? Nada fácil para este escritor... O Mestre Ruan com seus versos improvisados tiravam sorrisos ou faziam lágrimas caírem de muitas pessoas.

Esta é a festa do Divino que a cada ano não deixa suas tradições se apagarem, a não ser os fogos de artifício que este ano para não atrapalhar o sono de um ou outro que se sentia incomodado com essa tradição de mais de cem anos, foi deixado para segundo plano.

Mas o povo Católico que realmente ama o próximo não pode deixar se abalar por pequenos detalhes, pois as maiores demonstrações de amor a Deus puderam ser vistas nas ruas da Estância durante uma semana quando centenas de milhares de devotos estiveram presentes diariamente nas Alvoradas, missas e demais manifestações religiosas em Devoção do Divino Espírito Santo.

Enquanto isso em Biritiba Mirim Márcio Rosa e Valéria mostrava a Fé do Biritibano, o amor de cada um dos Devotos, a expressão dos Festeiros com suas lindas bandeiras e os Padrinhos do Andor que diariamente estavam presentes as missas.

Foi uma semana de novas conquistas e conhecimentos, onde também entrevistamos Padres, festeiros e políticos que estiveram presentes nas solenidades em louvor ao Divino Espírito Santo.

Pudemos presenciar a emoção dos Festeiros, a alegria dos Padres por estarem fazendo parte desta linda Festa em Biritiba Mirim.

O povo de Biritiba Mirim pode ainda encontrar com Padre Celso que por anos foi Pároco naquela cidade.

Enfim foi uma semana abençoada, seja em Salesópolis ou Biritiba Mirim, foram dias de glórias, de manifestações religiosas jamais vistas e clicadas por nossas câmeras.

A Equipe do Jornal do Povão agradece primeiramente a Deus por nos permitir estar simultaneamente em duas cidades realizando a cobertura da Festa do Divino, e claro não podemos deixar de agradecer a você nosso amigo leitor que nos prestigiou e sempre esteve atendo a todos os fatos da semana.

O Jornal do Povão é hoje com apenas quatro anos de existência um ícone da Estância Turística de Salesópolis e Região, pois aqui você faz a diferença.


Cobertura completa da Festa do Padroeiro São José

em Salesópolis - 22-03-2015

Nós do Jornal do Povão, estamos mais uma vez cumprindo com o nosso dever que é informar a nossos leitores dos principais fatos da Estância Turística de Salesópolis e Região.

Encerramos hoje (22 de março) mais uma etapa nesse compromisso assumido e com força e determinação cobrimos da melhor maneira possível os festejos do Padroeiro da Estância Turística de Salesópolis desde seu início em 14 de março até hoje dia 22.

Uma equipe formada com pessoas dedicadas em deixar todos bem informados, e acima de tudo pactuando com a verdade dos fatos.

Passamos uma semana junto a comunidade Católica, entrevistamos todos os Padres que estiveram presentes na festa do Padroeiro.

Esperamos que você que está nos prestigiando tenha gostado de nossas matérias, nossas publicações e esperamos a cada evento, a cada dia nos aprimorar ainda mais.

Nós do JP queremos acima de tudo agradecer a Deus por nos proporcionar momentos de alegria, fé, coragem e de muitas emoções.

Queremos agradecer em especial ao Padre Luciano Batata que sempre está “abrindo” as portas da Igreja Matriz para que possamos realizar nossos trabalhos, ao Diácono Muller Prado e a todos aqueles que direta ou indiretamente colaboram com a equipe do Jornal do Povão que não é apenas de Salesópolis, mas de toda nossa Região, do Brasil e do Mundo.

Obrigado a todos pois aqui VOCÊ FAZ A DIFERENÇA.


EDITORIAL - 24-12-2014

O sorriso de uma criança

Se existe algo belo na face da Terra, esse algo é certamente o sorriso de uma criança. Explico.

O sorriso de uma criança não é algo que se constrói. Não pode ser vendido. Não tem receita. Não tem marca. Não tem bula. Não tem selo. Não tem etiqueta. Portanto, não é falso. Ele é genuinamente verdadeiro.

O sorriso de uma criança vem de dentro do seu coração. Da pureza de um coração que ainda não aprendeu a mentir, a falsear, a enganar, a ser mal educado, a ser socializável, a ter um sorriso de soslaio como tem os adultos sempre nas horas mais impróprias.

Quando uma criança sorri, ela sorri porque algo a fez feliz naquele momento.

Ela sorri porque se recordou de algo bom que viveu. Seu sorriso é mais do que isso: ela pede, solicita e suplica que lhe devolva aquele momento que a fez recordar de uma boa lembrança ou de uma lembrança suficientemente boa.

Não é como nós adultos, que tomados da nossa empáfia quando encontramos alguém que não desejamos ou não gostamos, soltamos a esmo: “Oi querida(o), como você está? Tudo bom?” com um sorriso amarelo de orelha a orelha. Ao passo que escondemos em nossas mentes pensamentos atrozes tais como “Mas o que é que esse chato está fazendo aqui? Ai meu deus, lá vem essa mulher de novo? Que saco!”.

O sorriso de uma criança não é incongruente com o seu pensamento. Ela sorri porque acha que ela deva sorrir quando encontra algo que a faz feliz. Ela pede que a amemos como o fizemos antes, na sua parca memória.

Ela solicita nosso gesto espontâneo porque entende que, de fato, é verdadeiramente responsável por aquilo que cativou, como certa vez disse uma raposa.

Nenhum sorriso infantil, por conseguinte, vem desacompanhado por si. Ele geralmente trás consigo um brilho nos olhos quase marejados e “clorificados” de seu encanto e pureza sem igual e sem o qual não seríamos objeto nem do seu desejo nem do seu amor, muito menos do seu apelo. Toda mãe e todo o pai reconhece o sorriso do seu filho quando criança, e por este é reconhecido.

Com ou sem dentes, com ou sem lágrimas, com ou sem uma doce risada, com ou sem palavras, ninguém fica incólume ao sorriso de uma criança. Pelo contrário. Nós nos desapegamos da viscosidade de sermos adultos e nos agarramos firmemente ao sortilégio de, por um breve segundo sequer, voltarmos a agir como uma criança novamente.

Os consumidores compulsivos de “sorrisos infantis” certamente já passaram pela experiência de dizer ou fazer coisas que sequer tem correlato na linguagem infantil. São sons inaudíveis, caretas e gestos ridículos, que só esses “consumidores” verdadeiramente apaixonados “pelo sorrido de uma criança” são capazes de fazer.

Só um adulto pode tentar ser ou agir como uma criança, mas ele é incapaz de sorrir verdadeiramente como a criança que fora outrora. Em compensação, só uma criança pode sorrir com o ar de infante que lhe é característico, porque ela teve a sorte de (ainda) não passar pela sofismável e contaminável experiência de ser um adulto.

O sorriso de uma criança é generoso por si. Ele nos cala, mas também nos faz falar. Ele dói, mas a dor é prazerosa. Ela nos toca, mas não no coração, é na alma. Ele nos tira o fôlego, mas é para podermos respirar melhor no momento seguinte. Ele nos acalma. Nos aquieta. Pode até nos inquietar. Ele nos satiriza, mas é por uma boa causa. Ele nos dá esperança, mas essa esperança é vã.

A esperança vã é de saber que aquela criança e aquele sorriso pode até se perder no futuro sorriso do adulto que se transformará, mas em algum dado momento, ele retornará ao seu verdadeiro dono no instante exato que encontrar o sorriso de uma outra criança. A criança que foi. A criança que se é. A criança que se tornou.

Sorria.


EDITORIAL - 05-10-2014

Segunda aprovação do prefeito Rafael

Depois de passar pela aprovação das urnas há exatamente dois anos o prefeito Benedito Rafael da Silva, PR, conquistou domingo, 5, sua segunda vitória nas urnas.

Desta vez trata-se de uma vitória dedicada a seu esforço político que nos últimos dois meses formou uma grande equipe e saíram em todos os bairros de Salesópolis para mostrar os trabalhos que foram conquistados junto ao deputado estadual André do Prado.

Foram dois meses de intensos trabalhos onde o vice-prefeito Vanderlon Oliveira Gomes, se destacou por estar presente em todos os eventos promovidos na cidade.

Vanderlon juntamente com os vereadores Marcelo do Quico, Edney, e Paulino do Bragança, da base do prefeito Rafael, conseguiram formar uma grande equipe e assim estarem presentes em todos os bairros de Salesópolis, incluindo o Distrito Nossa Senhora dos Remédios.

O resultado desse intenso trabalho foi conquistado após a abertura das urnas quando o então candidato a reeleição André do Prado conquistou absoluta votação em Salesópolis.

Desta forma o que o povo espera para os próximos dois anos e três meses do governo do prefeito Benedito Rafael da Silva, PR, é que as obras já prometidas sejam realizadas e que muitas outras que a população da Estância Turística de Salesópolis almeja sejam conquistadas e assim podermos dizer que realmente nossa cidade está no caminho certo.


É chegada a hora da partida...

Padre Cícero Sobral emocionado durante cumprimentos na Igreja Matriz de Salesópolis

“Cada pessoa que passa em nossa vida passa sozinha, porque cada pessoa é única e nenhuma substitui a outra! Cada pessoa que passa em nossa vida passa sozinha e não nos deixa só porque deixa um pouco de si e leva um pouquinho de nós. Essa é a mais bela responsabilidade da vida e a prova de que as pessoas não se encontram por acaso.”

Nossa comunidade sente que um de seus membros foi separado fisicamente, mas somos inseparáveis espiritualmente. Mesmo longe, sempre seremos e estaremos unidos. Pois as pessoas que passam por nossas vidas sempre deixam suas marcas. Saiba que a sua nunca se apagará. 

No livro do Eclesiástico, capítulo 6, versículos 14 ao 16, afirma que: “Amigo fiel é proteção poderosa, e quem o encontrar, terá encontrado um tesouro. Amigo fiel não tem preço, e o seu valor é incalculável. Amigo fiel é remédio que cura, e os que temem ao Senhor o encontrarão”.

Pe. Cícero, “quem encontrou um amigo, encontrou um tesouro”. E nossa comunidade recebeu durante esse tempo que permaneceu conosco, um valioso tesouro: o senhor e sua amizade.

Não diremos adeus, mas até breve, Pe. Cícero. Que o Bom Jesus o abençoe nesta nova missão. E sempre estaremos rezando e torcendo pelo seu sucesso.

JORNAL DO POVÃO - AQUI VOCÊ FAZ A DIFERENÇA


O carinho do povo ao Padre Cícero Sobral

Foto: João Pedro Morente

Muitas vezes somos surpreendidos por fatos que acontecem em nossas vidas independentes de nossas vontades ou desejos. Porém quando temos uma missão a ser cumprida, devemos aceita-los, pois faz parte dos desígnios de Deus.

Durante oito meses tivemos a graça da presença em nosso meio do Padre Cícero Sobral, natural de Pernambuco, e somos profundamente agradecidos por isso. Padre Cícero nos liderou e participou conosco em várias realizações da Paróquia São José de Salesópolis, trazendo principalmente os jovens para a Igreja, jovens esses que viviam sem estarem em comunhão com Deus.

Não podemos esquecer das visitas semanais as duas dezenas de Comunidades e que em alguns casos jamais os moradores haviam recebido a presença de um Padre em suas residências.

Com seu festivo espírito, foram realizados inúmeras reuniões sociais, festas comemorativas nas comunidades da nossa Paróquia, que além de serem momentos de congraçamento, estreitaram e reforçaram os laços entre varias comunidades.

Além disso esses momentos inesquecíveis, nos fizeram recordar o espírito de partilha, união, alegria e com seu sorriso solidário que deve ser a marca dos cristãos.

Todas essas realizações do Padre Cícero, mesmo em pouco tempo, já seriam suficientes para gravar eternamente o seu nome na história da Paróquia São José de Salesópolis.

Dotado de um grande carisma espiritual, aproximou os católicos ainda mais de Deus na Sagrada Eucaristia. 

Ensinou o povo de Salesópolis a participar de cada missa como se fosse a nossa primeira e última missa. E pelo seu exemplo, dedicação, paciência, persistência, tal como Bom Pastor, buscou e resgatou , várias ovelhas que andavam dispersas e longe da Igreja.

Sua maneira de ser e agir, aproximou as pessoas e nos fez sentir iguais e irmãos.

Padre Cícero, Deus coloca pessoas em nossas vidas, que agem como anjos, mostrando o caminho que devemos percorrer. Saiba que para muitos da Paróquia São José de Salesópolis que passaram por momentos difíceis, a sua presença foi como um anjo que trouxe paz, luz, conforto e esperança , para corações e espíritos feridos, abatidos , fracos e sem alegria.

Padre Cícero, esta foi a sua mais importante realização: Promover o crescimento espiritual dos seus Paroquianos, fortalecer-lhes a fé, dar-lhes um sentido de comunidade cristã e aproximá-los de Deus.

Com certeza tudo isso é a maior missão que um Sacerdote pode concretizar.

Jamais gostaríamos de estar neste momento se despedindo do senhor, pois cremos que com sua presença na Paróquia São José de Salesópolis e com seu carisma mais pessoas seriam agraciadas com suas bençãos.

Padre Cícero aqui em Salesópolis o senhor fez a diferença.

Jornal do Povão - A Serviço da Comunidade


Semearam Joio no meio do nosso Trigo

Assim que encerrou a Missa das 10:00 que foi celebrada pelo Padre Antônio Carlos Menezes, que é Pároco no Distrito Nossa Senhora dos Remédios, uma multidão encontrava-se aglomerada atrás da Igreja Matriz de São José.

Parecia que haveria algo de diferente na Festa do Divino deste ano, e com certeza sim, pois pela primeira vez na história das Festas Religiosas de Salesópolis, uma tradição com mais de 60 anos de história não poderia ter um desfecho como o ocorrido no domingo, 20.

A esquipe do Jornal do Povão acompanhou desde a noite de quinta-feira, 17, a lamentável história de um “indivíduo” que se diz morador nesta cidade de Salesópolis e que por motivos políticos contra a Administração do Prefeito Benedito Rafael da Silva, PR, se dispôs a qualquer custo impedir a realização do Leilão de Gados e outros animais, que além da tradição é uma doação espontânea do povo que mora na roça para agradecer ao Divino Espírito Santo por mais um ano de vida e de boas colheitas no campo.

O prefeito Rafael e seu assessor Rodrigo Marcondes trabalharam juntamente com os festeiros para que ocorresse o Leilão de Gados na Praça da Matriz, como sempre aconteceu.

Para que todos fiquem cientes dos fatos, na manhã de sexta-feira o Secretário Rodolfo Marcondes já estava providenciando junto aos órgãos competentes para que se realizasse todo o processo correto para que os animais pudessem serem trazidos até o recinto da Festa como já é de costume e assim o Leilão se realizaria.

Mas infelizmente como não temos união total nesta cidade nem mesmo nos momentos para ajudar nosso próximo não seria diferente que essa “tal pessoa” que fez a denúncia e não quis se identificar sabemos lá por quais motivos, ainda teve a “coragem” de mandar um emissário até a presença do Padre Luciano Batata pedindo desculpas pelo ocorrido e que só fez porque a prefeitura não tomou nenhuma providência sabendo do Leilão.

Será mesmo que teria que partir da prefeitura a atitude de pedir a liberação para os órgãos competentes para a realização do Leilão ou os festeiros, comissão de festa da Igreja até mesmo alguém responsável pelas atividades festivas religiosas de Salesópolis deveriam procurar o órgão competente da prefeitura para agilizar e ter em mãos todas as guias necessárias para transporte e venda dos animais.

Esse denunciante anônimo que não teve a coragem de mostrar ao Padre Luciano e ao povo de Salesópolis quem é, e com certeza no próximo ano não terá mais essa oportunidade de prejudicar uma Festa que é comemorada por mais de 80% dos católicos de Salesópolis e outros milhares que vem nos visitar.

Para que todos fiquem sabendo é com a renda do Leilão de Gado que a Igreja Católica de Salesópolis paga suas contas e ainda consegue manter o Centro de Pastoral que é a Casa de Deus onde todos podem usufruir.

Mateus 13: 24-25

24. Jesus lhes contou outra parábola, dizendo: "O Reino dos céus é como um homem que semeou boa semente em seu campo.

25. Mas enquanto todos dormiam, veio o seu inimigo e semeou o joio no meio do trigo e se foi.


A Festa do Divino e suas tradições

Quando falamos em Festa do Divino Espírito Santo não podemos deixar de lembrar de nossas tradições sejam elas culturais ou religiosas, que ao longo dos anos foram perdendo um pouco de suas origens.
Não podemos deixar de manter “viva” nossa cultura para que outras gerações possam dar continuidade a tudo aquilo que no passado foi construído por pessoas que mesmo na simplicidade em que viviam tinham uma riqueza enorme dentro de seus corações.
Hoje se falam em mudanças de hábitos e maneiras de se realizar festas e outros eventos em Salesópolis, deixando para trás um legado de grandes conquistas, de grandes eventos que no passado deixava Salesópolis como uma das principais cidades do Estado de São Paulo na realização de Festas principalmente religiosas.
Hoje precisamos resgatar o que no passado já foi orgulho para as pessoas mais “antigas” de Salesópolis que tem muitas histórias para contar a nossas crianças que serão o futuro desta cidade.
Festas com grandes cavalhadas, entrada dos palmitos que era esperada com grande ansiedade pela população na véspera da festa.
As alvoradas eram marcadas pela presença não somente dos Foliões do Divino, mas da Banda do Caetano como era conhecida em nossa cidade, mas desde daquela época já levava o nome de Corporação Musical São José de Salesópolis.
O “Pedrão fogueteiro” era quem nos acordava para as alvoradas às 4:00 da manhã soltando o primeiro Rojão de Vara com um estouro que poderia ser ouvido de muito longe.
Às 5:00 da manhã saía do Império do Divino, onde hoje é o Centro Comunitário, os Festeiros acompanhados por dezenas de devotos com suas bandeiras percorrendo durante uma hora as ruas de Salesópolis e na frente lá ia o Pedrão com algumas dúzias de rojão de vara acompanhado por várias crianças curiosas para ver aquele enorme foguete tomar os céus de Salesópolis.
Você leitor que está lendo este Editorial deve estar perguntando o porque de tantas explicações de como eram nossas Festas do Divino e a resposta é apenas uma só:
- Não podemos deixar nossas tradições culturais e religiosas serem dizimadas, precisamos manter viva a memória de Salesópolis de nosso povo, o rojão das 4:00 da manhã durante uma semana e os fogos durante as alvoradas do Divino fazem parte de nossa cultura, pois um povo sem memória é um povo sem história.


A FESTA E A TRADIÇÃO

Rapidamente sem querer pelo menos por enquanto entrar no mérito da questão, deixando ainda para meados deste mês, expressou o sentimento que o povo de Salesópolis tem por suas tradições culturais.

No final da noite de sábado e início da madrugada de domingo, 8, presenciamos na Praça da Matriz e em ruas arredores o que já é de costume nos finais de semana e principalmente em dias de festas, jovens com seus carros com o som em alto volume que chega até mesmo estremecer algumas residências.

Sem querer julgar quem está certo ou errado, visto que todos tem o direito de se divertirem desde que não coloque em questão a ordem pública e o sossego alheio, mas já se tornou costume há alguns anos essa prática de som alto até a madrugada.

Por acaso do destino no próximo mês entre os dias 12 e 20 de julho será realizada em Salesópolis a tradicional Festa do Divino Espírito Santo, que já se tornou uma lenda para nossa cidade, visto que desde o início da década de 90 vem perdendo aos poucos suas raízes e tradições.

O que o povo católico de Salesópolis não pode deixar mais que aconteça é perdermos ainda mais nossa cultura, pois um povo sem cultura é um povo sem passado, sem lembrança, e para que nossos filhos e netos saibam como foi nosso passado nesta cidade precisamos mais do que nunca plantar a semente a “memória”.

Hoje se fala pelas ruas da cidade que estará proibido soltar os tradicionais fogos nas alvoradas do divino que se iniciam as 5:00 e durante uma hora percorrem as principais ruas da cidade por sete dias.

Sete dias esses que são os Dons do Espírito Santo, onde são visitados todos os Bairros de nossa cidade e casas de pessoas enfermas que com sua fé acreditam em Deus acima de tudo.

Povo Católico de Salesópolis será que uma dúzia de fogos que são soltos em um período de uma hora incomoda mais do que três horas de grandes barulhos e sacudidas em suas residência com os carros de sons?

Pensemos e refletimos...


Nossa obrigação é informar e esclarecer nossos leitores

O Jornal do Povão tem como princípio desde seu lançamento em 30 de outubro de 2011, levar a informação correta a nossos leitores (internautas).

Iniciamos nossos trabalhos na rua fazendo um jornalismo dinâmico e autêntico a fim de que todos possam em tempo real saber os principais acontecimentos de nossa cidade (Salesópolis).

Hoje após passar dois anos e sete meses de seu lançamento podemos dizer com toda simplicidade que estamos aos poucos alcançando nossos ideiais que é levar o nome de nossa Salesópolis aos quatro cantos do mundo.

O Jornal do Povão com sua credibilidade está cativando cada dia mais os internautas, pois apesar de sermos uma equipe pequena, trabalhamos diariamente para levar a informação em sua casa.

Hoje o Jornal do Povão está presente nas cidades vizinhas de Biritiba Mirim e Santa Branca e a partir de primeiro de junho estaremos na cidade de Paraibuna para cobrir todos os acontecimentos do aniversário daquela cidade.

Enfim, estamos a cada dia levando ainda mais o nome de Salesópolis para todas as regiões e ao mesmo tempo informando nossa população de todos os eventos e acontecimentos das cidades vizinha.

Para melhor informar nossos leitores queremos dizer quem em momento algum foi ou será nosso objetivo confrontar os Poderes Executivo com o Legislativo.

Queremos sim que ambos façam bons trabalhos a nossa população que muito necessita de atenção, carinho e acima de tudo bons profissionais para atende-las em todas as repartições públicas.

Brigas e desavenças entre os Poderes a nada levarão para melhorar a qualidade de vida da população de Salesópolis, estamos aqui abertos para debates que sejam construtivos a todos nós.

Jornal do Povão – A Serviço da Comunidade - Aqui você faz a diferença – Jornalismo levado a sério


CARNAVAL PARA TODOS

Desde que começou em 1993 na gestão do prefeito Nego,  o nosso carnaval de rua já passou por muitas modificações, mas sempre voltou a sua origem que e sempre terá que ser agradar a “Gregos e Troianos”.

Nestes vinte e um anos de sua mudança do tradicional Baile de Salão na Sociedade Esportiva Salesópolense para o carnaval de rua, Salesópolis teve que se adequar primeiramente a maneira em que povo queria brincar os quatro dias da folia de momo e em seguida saber acolher os turistas que viriam nos visitar.

Quem no passado apostou no futuro grandioso de nosso carnaval de rua com certeza ganhou muitas apostas.

Os anos se passaram novos prefeitos governaram nossa cidade e com isso novos pensamentos foram surgindo e recriando uma maneira para que o povo de nossa cidade e os turistas fosse recebido de braços abertos nos quatro dias de folia seja ela onde fosse.

No segundo mandato do prefeito Feital ele por um ano retirou o Carnaval da Rua XV e colocou onde hoje funciona um lava rápido na Rua Nossa Senhora de Fátima e logo no ano seguinte retornou com o evento na Rua XV.

O nosso atual prefeito Rafael em seu primeiro ano de mandato (2005) realizou o carnaval na antiga Rodoviária e nos anos seguintes retornou com a festa na mesma Rua XV.

Este ano alegando falta de segurança o prefeito sugeriu que realizasse o evento no “Franciscão”, mas por uma ou outra liminar contra resolveu-se fazer na “Avenida Nova”.

A mudança foi válida, pois estávamos em um local plano e amplo com capacidade para mais de cinco mil pessoas e foi assim que realizamos mais um carnaval em nossa cidade com milhares de turistas que “invadiram” nossa cidade e se divertiram quatro noites além de trazerem movimentação financeira para nosso comércio.

Mas como sempre acontece em nossa cidade sempre temos e teremos a “Turma do contra” que mesmo após um evento ainda continuam falando mal mesmo que tenha dado certo.

O que não podemos é retroagir no tempo e querer mudar uma situação que está voltando para a melhoria no movimento de turistas em nossa cidade e querer no futuro ou em próximos eventos a serem realizados em nossa cidade simplesmente “selecionar” quem deve ou não entrar em nossa cidade.

As portas de Salesópolis estão abertas para todos, pois vivemos em uma sociedade livre onde podemos ir e vir, mas aqueles que cometem excessos devem sim ser punidos de acordo com nossa Lei.

Ou seja, temos que ter uma dose de equilíbrio na hora de realizarmos eventos em nossa cidade e muito mais quando criticarmos seja para o bem ou não.


EXPERIÊNCIA DE VIDA

Com cinco anos de existência em nossa cidade a CCI, Centro de Convivência do Idoso é mais que um local para o encontro dos Idosos.

Hoje podemos dizer que a CCI se tornou referência a todos que passam horas se divertindo e lembrando-se das coisas boas da vida.

Pessoas essas que saem de suas casas muitas vezes bem distantes, mas que encontram a felicidade naquele momento em que estão participando de alguma atividade.

É a experiência de quem já tem os cabelos brancos, mas com um coração cheio de esperança de viver dias melhores, de poder compartilhar cada momento seja junto a seus familiares ou com os amigos que ali se encontram.

A velhice tem como meta a gentiliza, sabedoria, coragem, determinação, muito carinho e acima de tudo tem como Lei Amar a Deus e a seu próximo, .

Parabéns a todos os membros da CCI que continuem sempre lutando por seus ideais, pois cada dia é uma conquista a mais em seus longos anos de vida.


Jornalismo levado a sério e não omitindo os fatos

O Jornal do Povão vem há dois anos, desde 30 de outubro de 2011, mostrando à população de Salesópolis a realidade em que vivemos, com fatos e fotos que comprovam que o jornalismo fala e prova a situação precária em que se encontra nossa cidade.

Para conseguirmos alcançar a credibilidade que temos hoje foi e continua sendo uma luta diária contra as pessoas que se sentem incomodadas com as veracidades dos fatos aqui publicados.

Saímos todos os dias a procura de novos acontecimentos para deixar você internauta atualizado com os fatos sejam bons ou não de Salesópolis.

Em alguns momentos somos criticados por não estarmos aqui ou ali para cobrir alguns eventos, mas contamos com um número reduzido de colaboradores que nos ajudam com seu bom senso e idéias para serem publicadas diariamente.

O que nos deixa indignados é com a falta de cooperação das autoridades de Salesópolis que gostam de estar na mídia, mas nos criticam por divulgar a real situação que está nossa cidade.

“O jornalismo de nossa cidade não tem valor para os políticos”

O que não pode acontecer é ficarem culpando administradores anteriores pela situação em que se encontra atualmente nossa cidade, mas se faz necessário tomar providências para que o povo tenha o mínimo de assistência dos políticos que foram eleitos para ajudar nossa cidade e não ficarem reclamando.

Aliás, quando decidiram se candidatarem a cargos públicos todos sabiam da real situação de Salesópolis e agora sete meses e alguns dias depois se viram para a população e dizem que a prefeitura se encontra em situação ruim e pouco poderá ser feito.

É preciso atitude para colocar Salesópolis nos eixos, passaram prefeitos e prefeitos prometeram de um todo para nossa cidade e pouco se fez, claro, não podemos deixar de lembrar o ex-prefeito Feital que muito contribuiu para o desenvolvimento de nossa cidade lutando por dois mandatos para nos tornar Estância Turística.

Mas a realidade que este Jornal quer mostrar a população de nossa cidade a realidade em que vivemos, e mais, gostaríamos de poder estar divulgando apenas bons acontecimentos, mas nem tudo é paz e amor.

Por esse e por outros motivos que somos criticados pelos políticos que parecem terem medo da verdade de olharem em nosso Jornal pois não se trata de um Blog e visualizarem como está a saúde, educação, obras de infra estrutura em Salesópolis, enfim pequenos detalhes que fazem da diferença para a população, principalmente a mais carente.

“Fazer jornalismo em cidade pequena é como ter uma casa com telhado de vidro”

Não iremos admitir em hipótese alguma que nos chamem a atenção por estamos escrevendo a realidade de nossa cidade, não somos mercenários, pois não recebemos um centavo de nenhum político de Salesópolis, o que mantém o Jornal do Povão é a colaboração espontânea das pessoas que nos acompanham diariamente com mais de mil acessos.

Quando durante a abertura da Conferência Municipal do Meio Ambiente o prefeito Rafael falou que “se pagarem falam bem e se não pagar falam mal”, foi um grande equívoco de sua parte, pois não estamos a venda e queremos apenas mostrar ao povo de Salesópolis o que acontece em nossa cidade sem que nada fique escondido debaixo dos panos.

Se a prefeitura tem convênio com outros órgãos de imprensa que não são de Salesópolis cabe ao prefeito analisar se é certo ou errado não apoiar os Meios de Comunicação de nossa cidade.

Somos um Jornal independente e imparcial, um Jornal voltado para mostrar todos os principais acontecimentos de Salesópolis a seu povo.


Enquanto o povo sofre com falta de serviços essenciais

prefeitura poderá realizar Festa do Peão Boiadeiro

Há anos o povo de Salesópolis vem acreditando nas promessas dos políticos, principalmente os candidatos a prefeitos que em épocas eleitorais prometem o “mundo e o fundo” para ganhar as eleições e depois simplesmente esquecem-se da nossa população.

A Saúde como sempre além de ser “cabo eleitoral” de muitos políticos de nossa cidade se transformou em um caos nos últimos 13 anos, ou seja, nos últimos três prefeitos que passaram pelo poder em Salesópolis.

Desta vez o prefeito Rafael que já esteve à frente do Executivo entre os anos de 2005 e 2008 pouco está fazendo pela saúde de nosso povo que vira e volta reclama do mau atendimento na Santa Casa que desde o início do ano está sob intervenção da atual administração.

No Centro de Saúde as reclamações dos pacientes que necessitam de medicamentos e não encontram são diárias, visto que a maioria dessas pessoas que buscam remédio é carente e não tem a mínima condição de comprar.

Para agravar a situação nos finais de semana não existe nenhum posto de medicamento para distribuir a quem passa nos médicos na Santa Casa e com isso tem que esperar até a próxima segunda-feira para poderem iniciar o tratamento, isso é uma reclamação que já vem há anos, mas ninguém liga para os doentes de nossa cidade.

Tanto não ligam que quando há filas do lado de fora do Centro de Saúde para as pessoas que esperam para marcar suas consultas muitas delas idosos tem que esperar de pé, pois não existe nenhum tipo de assento adequado para dar o mínimo de conforto para quem está doente ou aguardando uma simples vaga para passar no médico.

Enfim, é um descaso total com nossos doentes, com nossa população que há quatro anos deposita suas esperanças em dias melhores, mas na prática vivem apenas de promessas.

E em uma época em que a atual administração após nove meses de mandato insiste em reclamar de tudo, principalmente da falta de recursos dizendo que o município se encontra endividado pela administração passada ainda assim pensam em realizar a Festa do Peão Boiadeiro gastando dinheiro não sabemos de onde, pois não somos recebidos para nenhuma entrevista.

Não somos contra a realização de eventos em nossa cidade, pelo contrário o povo Salesopolense é festivo gosta de participar de todas as festividades de nossa cidade seja religiosa ou não, mas quando se trata de um investimento público para realização de tal evento precisamos primeiro pensar no bem estar de nossa população, precisamos pensar nas prioridades e necessidades de cada um dos contribuintes de Salesópolis.

Os governantes de nossa cidade precisam primeiramente deixar de pensar em si próprio e antes de mais nada lembrar que somos um povo sofrido e esquecido por todos os governantes seja a nível municipal ou estadual, somos procurados apenas quando há interesses em votos e não podemos ser chamados de números de títulos e sim pelo nosso nome.

Se realmente irá ser realizada a Festa do Peão Boiadeiro, que traz a nossa cidade muitos turistas e movimento nosso comércio, que seja também dado a população de Salesópolis uma resposta rápida e positiva para a causa mais essencial no momento que é o bom atendimento na saúde.

 

topo